Segurança em meio a perigos

 

Salmo 119.109,110
Estou de contínuo em perigo de vida; todavia, não me esqueço da tua lei. Armam ciladas contra mim os ímpios; contudo, não me desvio dos teus preceitos.

Literalmente esse verso começa com uma tradução assim: minha vida está continuamente em minhas mãos. O que se carrega nas mãos não está em oculto. Um tesouro nas mãos pode ser roubado facilmente. Uma vida nas mãos é uma metáfora para: estou em perigo constante.
Essa visão tão vívida de como a nossa vida é frágil está no bloco da letra “nun”, em Hebraico (os versos deste Salmo são divididos pelas letras do alfabeto), iniciando com a “lâmpada” (veja Salmos 119.105).
A luz tanto mostra o caminho como revela a vida. A fragilidade da mesma é uma realidade constante para cada um de nós e, quando pensamos que o salmista irá pedir proteção, ele diz a frase: ” todavia, não me esqueço da tua lei”. É como se ele dissesse: eu me esqueço de mim, mas não me esqueço da tua lei.
​A segurança da vida está na confiança na Palavra de Deus e no andar na luz do Senhor. Os inimigos podem armar ciladas (o que é, claramente um meio escondido de buscar a presa), mas a confiança na Palavra do Senhor nos dá a certeza de que nossa vida está nas mãos do Senhor Todo Poderoso.
No caminho da vida há lutas, armadilhas, dificuldades e sofrimentos e, sem dúvida alguma, os que confiam nos ensinamentos do Senhor não andarão às cegas.
Que o Senhor Jesus Cristo, Deus eterno, nos ajude.

Conheça a Igreja Trinity Online

Mensagem minuto.
Clique abaixo e ouça o podcast.

plugins premium WordPress